2 Junho, 2020
Posted in Imprensa
20 Agosto, 2017 Consulting House

“São só 5 minutos”

Quantas vezes não ouve isto por dia?

O facto é: a forma como “gastamos” o nosso tempo no trabalho tem um impacto brutal na nossa vida, ora vejamos alguns exemplos:

Vou ao Facebook 5 minutos.” Passado algum tempo… “Ai! Já passaram 30 minutos desde que estou nesta brincadeira!” Resultado? Horas de trabalho extra durante o fim-de-semana.

Vamos fazer uma reunião de 5 minutos para vos manter a par da situação do departamento.” Ao fim do dia… “A reunião foi um desperdício de tempo e demorou bem mais do que 5 minutos, obviamente. Vou ter de terminar este relatório para entregar amanhã e não vou conseguir ir buscar as crianças à natação”.

No fim, tudo se resume à nossa “percepção de tempo” e ao que valorizamos, que vai diferindo de pessoa para pessoa e de cultura para cultura. Certo… Mas não seria bom se pelo menos no trabalho tivéssemos uma percepção/visão partilhada de como devíamos gerir o nosso tempo? Talvez.

Num estudo divulgado pela McKinsey & Company em 2013 dirigido a 1,500 executivos em todo o mundo, verificou-se que: a) apenas 9% estava “muito satisfeito” com a forma como geria o seu tempo; b) apenas 52% disseram que a forma como gerem o tempo corresponde às prioridades estratégicas da organização; e c) quase metade dos respondentes admitiu não estar focado o suficiente nas direcções estratégicas do negócio. Estes dados significam que o impacto de uma gestão de tempo deficiente não está só a afectar os colaboradores mas também a organização.

A criação de uma percepção/visão partilhada é, por isso, benéfica para colaboradores e organização. Para que tal aconteça, a organização tem de garantir…

… a criação de um ambiente propício a uma (nova) cultura de Gestão de Tempo.

  • Reflectir sobre aquelas que seriam as “boas práticas” para uma Gestão de Tempo eficaz.
  • Envolver todas as pessoas da organização nesta reflexão.
  • Identificar os factores ou áreas críticos que deverão ser desenvolvidas na organização e nos colaboradores para alcançar o objectivo.
  • Comunicar a comunicação da mudança a toda a organização.
  • Promover o alinhamento das pessoas com a nova cultura de Gestão de Tempo.

… promover a aprendizagem de estratégias individuais de Gestão de Tempo.

Fornecer formação aos colaboradores para melhor aquisição das estratégias individuais, que permitirão a implementação da nova cultura de Gestão de Tempo.

A Consulting House tem uma vasta experiência em projectos de mudança de cultura e poderá ajudá-lo(a) a operacionalizar uma mudança de cultura de Gestão de Tempo na sua organização. Entre em contacto connosco e peça-nos uma proposta.

Outras Sugestões

Free eBook | Pandemic Lessons for Top Management Teams