28 Setembro, 2008
Posted in Imprensa
4 Abril, 2018 Consulting House

“O que é simples é genial”:
Um ‘Laboratório de Inovação’ para desenvolver produtos

Encontrar novas soluções para produtos elétricos através do desenvolvimento do pensamento criativo.

O CLIENTE: EFAPEL
O DESAFIO

Acelerar a produção de ideias e resolução de problemas para maximizar a eficácia da equipa de desenvolvimento de produto.

OS RESULTADOS

Implementação de soluções que permitiram alavancar 9 projetos/produtos em curso.

A indústria dos Produtos Elétricos é uma área muito ligada aos avanços tecnológicos, pelo que a investigação, desenvolvimento e inovação são fatores-chave do sector. A EFAPEL, empresa familiar que nasceu em 1978 em Serpins, é hoje o maior fabricante de aparelhagem elétrica de baixa tensão e líder de mercado em Portugal. Exporta 30% da sua produção para mais de 50 países espalhados por todo o mundo e conta com cerca de 360 colaboradores.

 

O seu elevado investimento na Investigação e Desenvolvimento (800.000€ em 2016) e nos Recursos Humanos (mais de 34.000 horas de formação em 2017) tem sido um fator fundamental do sucesso da empresa. Em 2016 cresceu 8% e, no primeiro semestre de 2017, 20%. A Missão da EFAPEL torna explícita essa aposta ao afirmar que a empresa cria as melhores soluções “desenvolvendo os produtos e processos com eficiência e eficácia” e “desenvolvendo o talento dos colaboradores, assegurando a sua motivação e incentivando criatividade”. Nas palavras de Américo Duarte, Administrador da empresa, “consideramos que o ativo mais valioso da EFAPEL são as pessoas” e que “promovemos o acesso à aquisição de novos conhecimentos e competências.”

 

O bom desempenho empresarial depende da qualidade dos produtos que lançam ou da melhoria dos já existentes. Por isso, o pensamento criativo e o desenvolvimento de soluções inovadoras por parte do Departamento de Inovação e Desenvolvimento de Produto (IDI) é central no negócio. A empresa cresceu muito rapidamente nos últimos anos devido a essa capacidade mas identificou a necessidade de tornar a equipa de IDI ainda mais eficaz na resolução criativa e estruturada de problemas relacionados com o desenvolvimento de novos produtos.

“Tivemos a possibilidade de trabalhar técnicas para ajudar a pensar de forma diferente, ‘’fora da caixa’’, encontrando métodos para explorar a nossa criatividade.”

JOSÉ MARTINHO, DIRETOR DEPARTAMENTO, EFAPEL

Desafiou a Consulting House para desenhar uma intervenção que promovesse a aquisição de conhecimentos e metodologias que permitam gerar ideias e levá-las ao mercado, seguindo um processo de inovação estruturado. A nossa abordagem à inovação e criatividade está alinhada com a visão da EFAPEL e do seu Administrador que afirma “O que é simples é genial!”. Deste modo, a sintonia entre as partes tornou o projecto ainda mais oportuno.

 

Pretendia-se que este processo tornasse a equipa ainda mais capaz de desenvolver produtos inovadores com valor para o mercado e de encontrar soluções técnicas para reduzir os custos dos produtos já existentes, através de: um pensamento “fora da caixa”; identificação de inibições e bloqueios ao processo criativo; maior capacidade de arriscar e sair dos quadros habituais de referência; e utilização de técnicas de criatividade e pensamento divergente.

 

Foi neste contexto que surgiu o programa “Leading Innovation and Creativity”, direcionado para toda a equipa de IDI. Este programa consistiu em 3 fases distintas. Na primeira, foi realizado um Diagnóstico de Criatividade da equipa. Os participantes foram ainda entrevistados, o que permitiu completar os resultados do questionário e recolher informação para desenhar a intervenção ajustada à realidade da EFAPEL e às suas necessidades. Com base nisso, foi desenvolvida a segunda fase – um workshop para desenvolvimento de competências de criatividade, inovação e resolução de problemas através de treino prático de técnicas e metodologias. Os participantes criaram em sala um “laboratório de inovação”, no qual trabalharam em problemas da sua realidade, identificando soluções criativas com o apoio da facilitadora da Consulting House.

 

Por fim, a terceira fase consistiu na aplicação das técnicas e soluções aos projectos em curso. Nesta etapa foi ainda realizado um workshop para apoio e acompanhamento dessa implementação, servindo também como consolidação das competências desenvolvidas.

 

Os resultados do “Leading Innovation and Creativity” foram positivos. Em linha com os objetivos, foram ultrapassadas barreiras em 9 projetos/produtos em curso, através da aplicação das técnicas e metodologias de criatividade. Os participantes consideraram que o projeto “abriu novas possibilidades de abordar os problemas” e que se “nota já uma mudança na equipa”.

 

Para além de desbloquear entraves em projectos em andamento, as ideias resultantes do programa despoletaram ainda a possibilidade do arranque de outros projectos importantes para o negócio da EFAPEL.

Nas palavras de José Martinho (Diretor do Departamento da EFAPEL), o “Leading Innovation and Creativity” foi “sem dúvida uma mais-valia. Tivemos a possibilidade de trabalhar técnicas para ajudar a pensar de forma diferente, ‘’fora da caixa’’, encontrando métodos para explorar a nossa criatividade. Ajudou-nos ainda a distinguir a criatividade da inovação, destacando a criatividade como meio para a inovação, essencial numa equipa de desenvolvimento de produto”.

Outras Sugestões

,
Free eBook - Pandemic Lessons for Top Management Teams