22 Agosto, 2017
Posted in Blog
1 Outubro, 2018 Ricardo Vargas

A consultoria de RH não é de RH

In Human Resources Portugal


No início era o conteúdo. A consultoria de RH ocupava-se de temas específicos: recrutamento, selecção, formação, carreiras, compensação… Cada uma dessas áreas tinha um corpo de conhecimento específico e as suas melhores práticas. O que fazia com que a experiência de gestão na área fosse relevante. Ex-directores de empresas eram os gurus da consultoria no seu sector. Era uma oportunidade de carreira.

Depois o mundo complicou-se. Os modelos de negócio e as estratégias diversificaram-se. As melhores práticas deixaram de ser transferíveis. Começou a falar-se de boas práticas. Os content experts começaram a perder o pé. Surgiram os process experts. Consultores que dominavam um processo específico dentro dos temas habituais de RH (gestão da mudança, people development…), mas que o faziam através de vários sectores, sem precisar de ter experiência de gestão em nenhum.

 

 

E serviram-nos uma globalização com uma digitalização a cavalo, temperada com inteligência artificial. O mundo é demasiado complexo para boas práticas. Temos práticas emergentes que devem ser direccionadas no sentido de modelação da estratégia de cada empresa. É um caminho solitário com poucas referências externas. Copiar é desistir.

A consultoria tem de sair do RH para inovar o RH. Um projecto inovador integra metodologias e ferramentas de muitas áreas diferentes num todo coerente: market research, IT development, data analytics, qualidade, inovação, psicologia, psicoterapia, coaching, formação, social media, palestras, comunicação, marketing e publicidade.

Isto exige uma sólida experiência de gestão de projectos de consultoria e a capacidade de criar linguagens transversais. Ter uma visão sistémica. Como é que este projecto impacta o modelo de negócio? Todos os colaboradores são stakeholders de RH com uma palavra a dizer. Pensar a intervenção como um todo, desde a concepção: como é que o projecto contribui para a empresa ideal? Como é que a transforma?

É o mercado dos systemic integrators, pessoas que pensam em conjunto com o cliente e que são capazes de atingir resultados com diferentes abordagens, metodologias, linguagens e ferramentas. Que integram diferentes valências num todo coerente. Que dialogam com qualquer interlocutor e fazem pontes onde há silos.

As novas abordagens de consultoria de RH não são de conteúdo nem de processo. A metodologia da moda é a marca do passado. A inovação está na capacidade de criar um processo único para cada cliente, que faça acontecer uma estratégia sempre em construção.

Outras Sugestões