28 Maio, 2009
Posted in Imprensa
21 Agosto, 2017 Consulting House

Coaching & Resultados: Entrevista a Ricardo Vargas

Ricardo Vargas, CEO da Consulting House e Professional Certified Coach (PCC), pela International Coach Federation foi convidado a dar a sua opinião sobre a relevância dos processos de coaching para o alcance dos resultados.

Consulting House (CH): Recentemente os media têm dado grande destaque ao impacto do Coaching em atletas de alta competição, que têm vindo a alcançar resultados de excelência. Para nós isto não é novidade. Na nossa actividade também registamos com frequência os mesmos resultados mas com líderes de topo. Consegues dar-me um exemplo da tua experiência enquanto coach?

Ricardo Vargas (RV): Um dos exemplos que partilho no livro “Coaching – ir mais longe cá dentro”.O Director Geral de uma empresa de tecnologias de informação que chegou ao coaching comigo por referência da Directora de Recursos Humanos, que tinha utilizado os meus serviços noutra empresa. O tema principal era comum a outros animais alfa: ele era descrito como um líder abrasivo: queimava as equipas que trabalham com ele e provoca elevada rotatividade de pessoas. Os resultados da empresa no estudo de clima e satisfação vinham a descer por causa dos seus comportamentos. Num assessment de liderança, o seu desempenho foi pobre.Na sessão de briefing inicial, a Directora de Recursos Humanos descreveu-o como um caso desesperado. Tinha pouca esperança de que o coaching conseguisse “recuperá-lo”.Mas ele afinal não era um caso desesperado. Tinha consciência do impacto negativo para a empresa das suas atitudes e comportamentos e estava genuinamente interessado em mudá-los; apenas achava que não conseguia.Após doze sessões de coaching, tornou-se menos explosivo. Entendia melhor as suas emoções, os gatilhos desencadeadores, as respostas alternativas. Tinha estratégias preventivas e guiões comportamentais de recurso para não cair no comportamento nefasto.Os seus colaboradores reportaram um “efeito equilibrante” do coaching. Ele vive a vida profissional com menos angústia e mais satisfação. E a equipa também está mais satisfeita – dizem que ele é um líder melhor. Os resultados da empresa confirmam.

CH: Como é que um processo de Coaching garante o atingimento dos resultados de um coachee?

RV: O processo de coaching só por si não pode garantir nada. O coaching baseia-se na crença de que o coachee tem autonomia e capacidade para chegar ele próprio aos resultados. Como processo gerador de clareza, accountability, planos, estruturas de suporte e motivação para a acção, contribui muito para os resultados. Mas os resultados são do coachee, não do coach, nem do processo em si. Tendo dito isto, um coach credenciado, com experiência de trabalho ao nível desejado, com experiência de gestão e de vida oferece mais probabilidade do que alguém que não tenha estas características, claro.

CH: Que tipo de acompanhamento do alcance dos resultados pode um coachee esperar do seu coach?

RV: Um coach é alguém que nos acompanha no processo de atingir objectivos, desde a sua definição até à celebração. O coachee pode esperar tudo o que for necessário do seu coach, desde que isso reforce a sua accountability. Ou seja, o coach não deve fazer pelo coachee, nem deve fazer coisas que reforcem a dependência do coachee em relação a ele. Fora isso, o que for preciso.

CH: A “vitória” ou o “sucesso” deles também é o teu?

RV: Sempre. Vibro muito com o sucesso dos meus coachees. É sinal que conseguimos criar uma relação de trabalho produtiva, que lhes permitiu explorar novas formas de ser e fazer coisas.

CH: Obrigada Ricardo, pela tua partilha!

Outras Sugestões

,