7 Outubro, 2020
Posted in Imprensa
19 Outubro, 2014 Consulting House

A primeira necessidade? Comunicar-se!

 

Desde sempre que a espécie homo sapiens tem necessidade de se expressar e fazer-se ouvir. Por gritos ou grunhidos, a comunicação humana foi evoluindo à medida que a sociedade também evoluía e formas mais complexas surgiam. Com isso, diferentes linguagens emergiam enquanto nos afirmávamos enquanto serem pensantes e detentores de uma identidade superior.

 

Com o advento da globalização e da revolução tecnológica, criaram-se novos meios de comunicação que ultrapassaram as barreiras do que à partida parecia ser humanamente possível.

 

 

 

Do tempo em que se faziam pinturas rupestres nas cavernas até aos dias de hoje a sociedade evoluiu, é certo, mas a razão porque se comunica continua a ser a mesma. Enquanto os nossos antepassados pintavam nas paredes, nós hoje escrevemos, falamos ou através duma imagem ou gráfico transmitimos uma informação.

 

Eu, protótipo de mulher, falo “pelos cotovelos” e adoro escrever, gosto de letras e de me expressar através da escrita, mas dou comigo muitas vezes a olhar e a indagar acerca do poder que uma imagem ou um gráfico condensa. Já lhe aconteceu algo do género? Em que medida através dum gráfico conseguem expressar informação que de outra maneira vos ocuparia mais linhas?

 

Ouvimos muitas vezes a expressão que “uma imagem vale mais que mil palavras”, contudo podemos nunca nos ter perguntado o que isso quer dizer.

 

Não lhe peço, nem me estou a referir a que cada um de nós olhe para um quadro de Picasso e diga o que lhe transmite ou que refira o que está a ser retratado. Não. Reporto-me àquilo que que conheço e para o qual tenho formação que é a Psicologia. Assim, psicologicamente falando, no ser humano o processamento mental ocorre segundo princípios da Gestalt como semelhança, proximidade, continuação e simetria. Estes processos permitem o reconhecimento de padrões complexos que são difíceis de compreender apenas por via oral ou escrita. Além disso, verifica-se também que tal como no sistema afectivo, o sistema visual avalia os estímulos como um todo e atribui-lhe significado.

 

Assim, e a título ilustrativo, o Stanford Persuasive Technology Lab perguntou a 2440 participantes que avaliassem a credibilidade de determinados websites e 46,1% deles refere que o uso de elementos visuais torna os websites efectivamente mais credíveis. Dito de outro modo, e utilizando o velho ditado, “é preciso ver para crer”.

 

Contudo, isto não significa que a linguagem verbal e oral não seja rica ou deva ser menosprezada. O que faria da minha vida, eu que gosto tanto de falar? No entanto, podemos e devemos afirmar que, nos dias que correm a literacia visual é tão importante como a literacia verbal e oral.

 

 

Outras Sugestões

,
Free eBook - Pandemic Lessons for Top Management Teams