EXECUTIVE COACHING PARA GESTORES EXPATRIADOS


Por Consulting House

A competitividade global e as exigências do mercado têm levado muitas empresas multinacionais a dar aos seus melhores gestores cargos de gestão noutros contextos culturais. Os expatriados vêem estes desafios transculturais como uma oportunidade de progressão na carreira e uma forma de obter mais benefícios financeiros.

Um estudo realizado pela Harvard Business Review (1999) revelou que os gestores expatriados têm um custo para as empresas entre 2 a 3 vezes maiores do que um gestor local. Por outro lado, 15% dos gestores expatriados volta antes do término do processo por problemas de adaptação à nova cultura, 35% apresentam uma performance inferior à esperada, outros 25% saem da empresa um ano depois de terminar a expatriação e só 25% têm o sucesso esperado, ou seja, permanecem e continuam o seu desenvolvimento na empresa.

Podemos dizer que o processo de ajustamento e de adaptação a uma determinada nação nem sempre é fácil e que este factor é, muitas vezes, uma das principais causas do insucesso dos processos de expatriação. Isto porque não é possível gerir, comunicar e negociar internacionalmente num contexto de diferentes culturas sem incorporar um conjunto de competências interculturais.

O processo de Executive Coaching é um aliado valioso no desenvolvimento de tais competências, proporcionando aos gestores expatriados a devida preparação para lidar de forma eficaz com assuntos internacionais e transculturais. Esta ferramenta de apoio é útil quando os expatriados necessitam de:
  1. Desenvolver temas como a sensibilidade intercultural, as comunicações transculturais, a avaliação de desempenho e a formação em línguas estrangeiras;
  2. Resolver conflitos em negociações realizadas nos mais diversos contextos culturais;
  3. Desenvolver e/ou modificar estilos de liderança adequados à realidade onde operam;
  4. Implementar estratégias para lidar eficazmente com o stress;
  5. Adoptar estilos de comunicação mais adequados a cada interlocutor internacional;
  6. Gerir equipas provenientes de diversas nações ou de um país diferente do seu;
  7. Utilizar práticas de gestão de recursos humanos alinhadas com as idiossincrasias culturais;
  8. Implementar a estratégia do país de origem noutro país, com normas culturais de relacionamento interpessoal e de gestão e pessoas diferentes.

Para que os gestores expatriados estejam alinhados com a realidade que irão encontrar, devem conhecer as origens, os valores e os comportamentos a adoptar neste quadro cultural. Através do processo de Executive Coaching, os gestores expatriados podem ter a oportunidade de melhorar o seu desempenho na condução de equipas de trabalho multiculturais, na comunicação efectiva entre os colegas de diferentes nacionalidades, ou até mesmo quando são promovidos a cargos de gestão que requeiram maiores responsabilidades.

Está neste momento a passar por um processo de expatriação? Recebeu uma proposta para assumir um cargo de gestão noutro país? A sua empresa está a passar por um processo de mudança que tem implicações na transferência de gestores para outros contextos culturais?

O nosso CEO - Ricardo Vargas - é Professional Certified Coach pela International Coach Federation, e acompanha vários gestores de topo expatriados em Portugal e no estrangeiro. A experiência que adquiriu a realizar coaching a gestores de nacionalidades tão diferentes como: Alemanha, EUA, Suíça, Espanha, Austrália, Itália, somada ao seu conhecimento de processos de diagnóstico, gestão e mudança de cultura empresarial - sobre os quais escreveu o livro "Os Meios Justificam os Fins" - são postas ao serviço dos nossos clientes portugueses e estrangeiros expatriados.

Contacte-nos para saber como as nossas metodologias e experiência de Executive Coaching podem apoiar os seus gestores.


voltar